Cabeçalho
Conteúdo
 
Inicio

Engenharia Mecânica

Versão para impressão PDF

Coordenador do Ciclo de Estudos

Mestre João Vizinha

 

Objectivos

O desenho do ciclo de estudos conducente à Licenciatura em Engenharia Mecânica pelo IPA foi concebido com o objectivo geral de funcionar em “banda larga”, dedicado ao “saber como”, sem limitar excessivamente as escolhas futuras, académicas e/ou profissionais aos futuros licenciados, procurando assegurar-lhes uma formação sólida na área da Engenharia Mecânica, por um lado, e, por outro, conferir-lhes níveis médios de especialização nos ramos da Termodinâmica (Energia Térmica, AVAC e Redes de Gás), da Produção (Construções Mecânicas e Automóvel) e da Manutenção.

Decorrem deste objectivo geral os seguintes objectivos específicos:

  • Adquirir os fundamentos científicos inerentes às áreas tradicionais da Engenharia Mecânica, o que permitirá aos futuros licenciados fácil adaptação ao mercado de trabalho, inserido num ambiente industrial ou de serviços e à criação de autonomia e auto-exigência na aprendizagem que lhes permitam dar respostas adequadas a novos desafios;
  • Adquirir as competências que permitem, em diferentes contextos organizacionais, estar aptos para o exercício de funções diversas e com responsabilidade, nomeadamente na direcção de oficinas e fábricas, tanto em áreas da produção, como da manutenção, da qualidade, do projecto ou actividade técnico-comercial.
  • Adquirir as competências correspondentes aos actos de engenharia definidos pela ANET, por forma a garantir a fácil inserção no mercado de trabalho, enquanto membro de uma ordem profissional.
  • Assegurar uma preparação cientifica devidamente sustentada de forma a permitir um adequado acesso ao ciclo de estudos seguinte ou a outras especialidades, função das exigências do mercado de trabalho.

 

Competências

A organização curricular apoia-se numa “matriz de correspondência” entre o perfil formativo e o perfil profissional de referência, estabelecendo um equilíbrio adequado entre uma sólida formação científica de base e as ciências da engenharia, procurando uma adequada articulação entre matérias a leccionar, objectivos e competências a atingir, métodos e técnicas pedagógicas para cada unidade curricular e entre as diferentes unidades curriculares.

Visa-se, assim, responder às necessidades científicas e técnicas de um detentor duma licenciatura em engenharia mecânica, em que se inclui a capacidade de compreender, analisar e formular soluções de problemas mais gerais na sua área de formação e, em particular, no que respeita à aplicação de conhecimentos e competências e saberes adquiridos no âmbito do perfil considerado – o de engenheiro mecânico.

Capacidades e referenciais de formação que são, também, em larga medida, concordantes com os recomendados pelo Processo de Bolonha, para a área das Ciências da Engenharia em geral e da Engenharia Mecânica em particular, tendo-se privilegiado a aquisição de competências técnicas e práticas atendendo à natureza politécnica do curso:

  • Competências gerais
    • Capacidade de pesquisar, de pensar de forma lógica e abstracta, assim como compreender o pensamento crítico.
    • Capacidade de uso das tecnologias de informação e comunicação na aquisição, análise e comunicação da informação.
    • Capacidade de aprendizagem de forma independente e autónoma.
  • Competências técnicas
    • Conhecer e aplicar os requisitos éticos da profissão;
    • Ter conhecimento teórico e técnico, em disciplinas de base das ciências da engenharia, adquirindo a capacidade de os aplicar de uma forma analítica e prática;
    • Analisar e sintetizar tecnicamente os problemas, sendo capaz de expô-los aos outros intervenientes.
    • Formular recomendações e/ou projectos sustentáveis e sustentados, de uma forma concisa e lógica;
    • Ser capaz de demonstrar os conhecimento e a teoria base que possam dizer respeito ao projecto e dimensionamento;
    • Ser capaz de elaborar adequadamente um projecto, quer nas áreas do AVAC ou redes de fluidos, quer em construções mecânicas, assim como a elaboração de relatórios de acompanhamento e respectivas memórias descritivas;
    • Ser capaz de estruturar a organização interna de uma unidade industrial, quer nas áreas da qualidade, quer da manutenção.